Journal of Medical Residency Review https://revistamedicalreview.org/revista <div id="homepageDescription" class="homepage-journal-description"> <p>A revista <strong>Journal of Medical Residency Review</strong> está inserida no meio científico como um espaço científico para divulgação de artigos na área de medicina e saúde em geral: relatos de casos clínicos e cirúrgicos, avaliações de prontuários, trabalhos epidemiológicos de diversas naturezas, opiniões de especialistas, revisões integrativas e sistemáticas da literatura e relatos técnicos. Este periódico é editado pela <a href="https://alumniin.com/inicio/"><strong>Editora ALUMNI IN</strong></a>. Serão aceitos artigos nos idiomas português, inglês e espanhol.</p> <p>A submissão de artigos ocorre exclusivamente por meio desta plataforma eletrônica, sendo que tais trabalhos serão avaliados pelo comitê editorial da revista.</p> </div> Editora Alumniin pt-BR Journal of Medical Residency Review 2764-9512 <p><strong>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</strong></p> <p>O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;</p> <p>O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);</p> <p>A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);</p> <p>É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.</p> <p>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) em http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html</p> Busca De Informações Patentárias Para Solução De Problemas No Setor De Atendimento Hospitalar: Um Estudo De Tecnométrico https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/5 <p>As patentes, que trazem consigo a descrição de variadas tecnologias, são capazes de representar o <em>status</em> do desenvolvimento financeiro e tecnológico de uma nação. A utilização de informações patentárias ainda é incipiente no Brasil, e estes documentos praticamente não são utilizados para solucionar os problemas presentes na maioria das organizações. O foco do presente trabalho foi utilizar a ferramenta computacional <em>Patent2net</em>, um <em>software</em> livre de mineração de patentes, para extrair da base <em>Espacenet</em> documentos patentários para solução de problemas presentes no cotidiano do atendimento hospitalar. Neste experimento, foram eleitos quatro temas considerados de maior relevância para a maioria dos hospitais: 1 – dificuldades na execução do banho de pacientes acamados; 2 – problemas na realização de drenagem de conteúdo gástrico; 3 – elevada incidência de úlceras por pressão; 4 – dificuldades na realização da higiene oral de pacientes intubados ou com difícil acesso à cavidade oral. Buscou-se identificar patentes livres para reprodução no Brasil e com potencial de frugalidade, ou seja, inclusivas e com baixo custo de reprodução. Por meio deste estudo tecnométrico, foram identificadas patentes que podem auxiliar no atendimento de pacientes que apresentam as necessidades listadas, alocados em unidades críticas de centros hospitalares.</p> Gleber Batista Ramão Renato Ribeiro Nogueira Ferraz Luc Quoniam Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-24 2022-10-24 1 1 e0226 e0226 10.37497/JMRReview.v1i.5 Papulose Bowenoide : Relato de Caso https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/19 <p><strong>Introdução:</strong> A papulose bowenoide é uma enfermidade sexualmente transmissível induzida pelo papilomavírus humano (HPV). A doença se caracteriza por lesões múltiplas ou solitárias pequenas em formato de verrugas em região anogenital. A doença apresenta caráter benigno na maioria das vezes, porém pode apresentar evolução maligna para carcinoma espinocelular. O diagnóstico é realizado através da avaliação clínica e exame histopatológico. O tratamento é feito através de remoção cirúrgica ou técnicas clínicas conservadoras. Além do tratamento clínico é importante a orientação sobre relações sexuais e fatores que geram a recidiva das lesões, como por exemplo o tabagismo.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Relatar uma doença ginecológica rara e com sucesso do tratamento com creme dermatológico imiquimod 5%.</p> <p><strong>Método:</strong> O Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) foi assinado, concordando com a participação voluntária no estudo. A pesquisa foi conduzida dentro dos padrões éticas em Pesquisa do HUSF, sob número de Parecer 5.760.074 (CAAE: 64807922.6.0000.5514) conforme a Resolução do Conselho Nacional de Saúde n.º 466/2012.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Apresenta-se o relato de caso de uma doença ginecológica rara e que pode apresentar evolução maligna. O diagnóstico precoce, com utilização de exames de imagem e anatopatológico, diminui os riscos desta evolução. O tratamento conservador com imiquimod a 5% apresentou bons resultados no paciente estudado.</p> Francisco Roberto Bonatto Attillio Brisiguelli Neto Copyright (c) 2022 Francisco Roberto Bonatto, Attillio Brisiguelli Neto https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-24 2022-11-24 1 1 e019 e019 10.37497/JMRReview.v1i1.19 Apresentação e Intervenção Cirúrgica Para Ressecção de Tumor Miofibroblástico Inflamatório de Bexiga: Relato de Caso https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/6 <p><strong>Introdução:</strong> O tumor miofibroblástico inflamatório (TMI) é uma neoplasia rara, de etiologia pouco conhecida, proveniente do tecido visceral e de partes moles, que pode ocorrer em qualquer área do corpo. No sistema genito-urinário acomete principalmente a bexiga, podendo cursar com hematúria, polaciúria, disúria e mais raramente febre e perda de peso. O diagnóstico diferencial pela histopatologia é fundamental para determinar se o tratamento será radical ou conservador, sendo a cistectomia parcial ou ressecção transuretral (RTU) a primeira escolha para esses casos. Descrições de casos de TMI são importantes para a aprendizagem médica continuada devido à raridade dos casos.</p> <p><strong>Relato do Caso:</strong> Tratou-se de uma paciente de 50 anos atendida no Serviço de Urologia do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus – HUSF, com queixas de hematúria há um mês, dor suprapúbica e urge-incontinência. Uma tomografia computadorizada do abdome e da pelve da paciente mostraram uma bexiga urinária de contornos e morfologia normais, porém, com conteúdo heterogêneo por conta da presença de uma formação endofítica, amorfa, que ocupava cerca de um sexto do volume do órgão e com atenuação de tecido hemático. Com base nos achados, indicou-se que a paciente passasse por uma ressecção transuretral de bexiga para biópsia. Após resultado, foi então indicada ressecção a céu aberto da lesão devido ao seu extenso tamanho. O procedimento ocorreu sem intercorrências, sendo possível uma ressecção completa da lesão, que possuía aspecto polipóide.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> O caso apresentado é um exemplo clássico de TMI de bexiga urinária.&nbsp;</p> Celene Benediti Bragion Giovanna Sartorelli Venturini Paulo Eduardo Mota Hespanha Fernando Eustáquio dos Santos Júnior Rafael Fernandes Gama Marcos Antonio Santana Castro Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-31 2022-10-31 1 1 e0227 e0227 10.37497/JMRReview.v1i1.6 Incidência Em Um Ano E Perfil Epidemiológico De Fraturas De Fêmur Proximal Em Idosos No Hospital Ana Costa, Santos – SP https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/7 <p><strong>Introdução:</strong> A maioria das fraturas de fêmur proximal (FFP) afeta idosos, visto que mais de três quartos dessas fraturas ocorrem em pacientes com idade superior a 75 anos. Para estes pacientes, a FFP muitas vezes representa um evento disruptivo, despojando-os de sua auto-sustentabilidade já potencialmente prejudicada pela idade.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Avaliar a incidência da FFP em idosos que foram atendidos no Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Ana Costa, localizado na cidade de Santos - SP.</p> <p><strong>Resultados:</strong> O número de mulheres foi estatisticamente maior do que o número de homens na amostra avaliada. Em relação a faixa etária geral, não foram observadas diferenças estatisticamente significativas. Entretanto, ao avaliar idosos com mais de 80 anos, as mulheres mais uma vez foram mais frequentes, e com maior média de idade. No que tange às fraturas, foi observada diferença significativa do ponto de vista estatístico para as fraturas de colo de fêmur e transtrocanterianas em ambos os sexos, que foram as mais incidentes, exceto no grupo de homens com mais de 80 anos, onde não houve predominância de nenhum tipo de fratura.</p> <p><strong>Observou-se</strong> ainda que as modalidades de síntese PTQ e PFN-curto foram as mais utilizadas em ambos os sexos. Quando os pacientes foram divididos por sexo, ambos os métodos foram mais frequentemente utilizados no sexo masculino.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Este trabalho apontou um elevado risco de fraturas de fêmur especialmente entre as mulheres com mais de 80 anos de idade, principalmente aquelas que ocorrem no colo e na região transtrocanteriana. Ainda, a maior parte das sínteses foi realizada com os métodos PTQ e PFN.</p> Milton Hiroshi Vilhegas Sawamura Maria Letícia de Sousa Ramos Conejero Silvio Luiz Borges Pereira Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-04 2022-11-04 1 1 e0228 e0228 10.37497/JMRReview.v1i1.7 Degastrectomia Sem Vagotomia Por Úlcera Perfurada De Coto Gástrico E Deiscência Completa De Anastomose Prévia Em Gastrectomia Subtotal Em Y-De-Roux https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/8 <p><strong>Introdução:</strong> Duas das principais complicações do bypass gástrico em Y-de- Roux (RYGB) são as deiscências das anastomoses e ulcerações marginais, ainda que a associação entre as duas seja considerada rara.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Relatar um caso de degastrectomia sem vagotomia realizada em nosso Serviço devido a uma úlcera perfurada de coto gástrico e deiscência completa da anastomose após RYGB.</p> <p><strong>Relato do Caso:</strong> Trata-se de paciente atendido na Urgência do Serviço de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo da Santa Casa de Sorocaba - SP. O paciente havia passado por uma RYGB e, seis meses após a cirurgia, seu coto gástrico apresentou uma úlcera perfurante, tendo sua anastomose tido uma deiscência completa. A resolução baseou-se na realização de uma degastrectomia sem vagotomia. Após o procedimento, o paciente se recuperou bem e obteve alta após sete dias de pós-operatório. A ultrassonografia e a tomografia computadorizada foram essenciais para o diagnóstico da complicação.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> A degastrectomia é uma opção cirúrgica de alta eficiência para a ulceração perfurante de coto gástrico com deiscência da anastomose, e deve ser realizada com urgência visando o melhor prognóstico.</p> Marcelo Fiusa Antunes Silva Jurandir Marcondes Ribas Filho Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-09 2022-11-09 1 1 e0229 e0229 10.37497/JMRReview.v1i1.8 Utilização Do Bloqueio Do Plano Eretor Em Cirurgias Cardíacas: Revisão De Ensaios Clínicos https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/9 <p><strong>Introdução:</strong> Uma das modalidades recentemente documentadas de bloqueio de planos fasciais é o bloqueio do plano eretor da espinha (ESP), que foi descrito pela primeira vez para o tratamento da dor neuropática torácica crônica e dor pós-operatória em cirurgias torácicas. Desde então, a técnica vem sendo empregada para uma ampla variedade de cenários clínicos, incluindo cirurgias cardíacas.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Por meio de uma revisão de ensaios clínicos, sintetizar e avaliar a utilização do bloqueio do ESP em cirurgias cardíacas.</p> <p>Método: Trata-se de um estudo exploratório, baseado no método de revisão da literatura com síntese de evidências. A base de dados escolhida para seleção dos trabalhos foi a PUBMED, utilizando a seguinte estratégia de busca: <em>"erector spinae plane block" AND "cardiac surgery"</em>. Foram avaliados estudos publicados nos últimos cinco anos, e qualquer trabalho que discutisse o tema proposto e fosse um ensaio clínico foi inicialmente incluído na amostra.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Foram identificados 11 trabalhos que atenderam a estratégia de busca previamente estabelecida. Após a leitura dos títulos e resumos, um texto foi excluído por se tratar de uma carta ao editor.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Para todos os artigos avaliados, o bloqueio do ESP proporcionou boa analgesia e segurança durante e após procedimentos cirúrgicos cardíacos, sendo superior a técnicas clássicas como a anestesia peridural torácica (TEA) e analgesias intravenosas com ou sem opiáceos. Tal dado também foi confirmado em cirurgias pediátricas. Além disso, o bloqueio do ESP foi responsável pela diminuição de diversos efeitos adversos típicos dos métodos clássicos de analgesia mencionados, como náuseas, vômitos e maiores períodos de ventilação mecânica. Outro dado interessante foi a associação da técnica com a analgesia do plano intercostal paraesternal superficial e bloqueio do nervo peitoral, que proporcionou uma redução no uso de opiáceos, um aumento da satisfação dos pacientes submetidos ao bloqueio do ESP e diminuição nos escores de dor.</p> Ivan Alves de Mello Junior Marcela Carvalho Araujo Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-09 2022-11-09 1 1 e0230 e0230 10.37497/JMRReview.v1i1.9 Pioartrite Em Recém-Nascido: Relato De Caso https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/10 <p><strong>Introdução:</strong> A pioartrite (PIOA), também conhecida como artrite séptica, é uma monoartrite aguda causada principalmente por bactérias comuns, como as dos gêneros <em>Staphylococcus</em> ou <em>Streptococcus</em>. Embora a PIOA em crianças não seja comum, não deve ser subestimada, pois pode estar associada à sepse e resultar em disfunção grave ou morte se não tratada precocemente e de forma adequada. Objetivo: Relatar um caso de PIOA em recém-nascido atendido no Serviço de Pediatria do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus (HUSF), localizado na cidade de Bragança Paulista, SP.</p> <p><strong>Relato do Caso:</strong> Tratou-se de um recém-nascido de 14 dias cujos pais relataram queixas de irritabilidade, choro excessivo à manipulação e diminuição da motilidade do membro inferior esquerdo, que se apresentava edemaciado e ruborizado na região do quadril. O paciente foi avaliado pela equipe de Ortopedia, que o diagnosticou com PIOA, realizando limpeza e drenagem do quadril afetado, seguida de 21 dias de antibioticoterapia combinada, com remissão completa da doença.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Por conta de sua raridade, alta taxa de morbidade e mortalidade e falta de consenso internacional sobre a melhor antibioticoterapia a ser administrada, a PIOA em recém-nascidos e crianças continua sendo um grande desafio. Seu diagnóstico deve ser realizado com brevidade, buscando evitar a ocorrência de sequelas como o encurtamento de membros ou óbito.</p> Renan Brocchi de Moraes Rodrigues Priscilla Guerra Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-09 2022-11-09 1 1 e0232 e0232 10.37497/JMRReview.v1i1.10 Síndrome Do Intestino Curto E Utilização De Nutrição Parenteral Periférica: Relato De Caso https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/11 <p><strong>Introdução:</strong> A síndrome do intestino curto (SBS) é uma condição disabsortiva incomum, mais frequentemente causada por ressecção cirúrgica maciça do intestino delgado, embora possa ser também congênita, especialmente em casos pediátricos. A SBS está associada à morbidade e mortalidade significativas, redução da qualidade de vida e altos custos de saúde.&nbsp;</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Relatar um caso de SBS em recém-nascido atendido no Serviço de Pediatria do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus (HUSF), localizado na cidade de Bragança Paulista, SP.</p> <p><strong>Relato do Caso:</strong> Tratou-se de um recém-nascido que foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva neonatal. Posteriormente, o paciente passou por uma laparotomia exploratória com enterectomia, colectomia parcial direita, ileostomia, sepultamento de cólon transverso pela técnica de Hartmann, apendicectomia e drenagem da cavidade. Com um quadro de desnutrição grave, o recém-nascido recebeu nutrição parenteral periférica (NPP) até iniciar o ganho de peso ponderal (15g/dia). Após a melhora de seu estado nutricional, recebeu alta com acompanhamento ambulatorial.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Ainda que esteja associada à grande morbidade e mortalidade, a SBS pediátrica pode ser contornada com auxílio de procedimentos cirúrgicos e posterior NP, como demonstrado no caso aqui relatado, que apresentou desfecho favorável.</p> Monica Teruko Sato Priscilla Guerra Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-16 2022-11-16 1 1 e0231 e0231 10.37497/JMRReview.v1i1.11 Síndrome De Dandy-Walker: Relato De Caso https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/12 <p><strong>Introdução:</strong> A Síndrome de Dandy-Walker (SDW) é uma malformação complexa que envolve a fossa posterior e o cerebelo, sendo considerada uma rara condição com incidência estimada de 1 a cada 30.000 nascimentos. A hidrocefalia é seu achado mais comum, identificada em aproximadamente 80% dos casos, e a SDW está presente entre 4% e 12% dos casos de hidrocefalia em lactentes. A “tríade clássica” da SDW é definida pela agenesia completa ou parcial do <em>vermis</em>, alargamento da fossa posterior com deslocamento para cima do tentório, seio transverso e torcular, e dilatação cística do quarto ventrículo.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Relatar um caso de SDW atendido em nosso Serviço.</p> <p><strong>Método:</strong> Trata-se de um relato de caso único atendido no Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus – HUSF, localizado na cidade de Bragança Paulista, SP. A paciente autorizou a utilização das informações sobre o caso por meio da assinatura de Termo de Consentimento Livre e Esclarecido.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Este relato demonstrou a importância de exames de imagem, como a ressonância magnética e a ultrassonografia, para identificação, ainda durante o período pré-natal, de fetos com a síndrome, permitindo que a equipe médica possa delinear o tratamento adequado para o futuro recém-nascido.</p> <p>Os achados proporcionados pelas análises por imagem nos permitiram averiguar com riqueza de detalhes alterações indicativas de SDW após a 18° semana de gestação, assim como após o parto.</p> Carolina Gayer Bonucci Ribeiro Attilio Brisighelli Neto Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-22 2022-11-22 1 1 e012 e012 10.37497/JMRReview.v1i1.12 Dermatomiose Juvenil: Relato De Caso https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/13 <p><strong>Introdução:</strong> A dermatomiose juvenil (DMJ) é uma doença rara, embora seja a miopatia inflamatória mais comum da infância. O início precoce da terapia demonstrou diminuir consideravelmente a morbidade e a mortalidade da doença. Devido à raridade da DMJ, descrever novos casos se torna de grande valia para o processo de educação médica continuada em Pediatria. Objetivo: Relatar um caso único de DMJ atendido em nosso Serviço.</p> <p><strong>Relato de Caso:</strong> Tratou-se de um paciente com histórico de atraso no desenvolvimento motor, que deu entrada em nosso Serviço com dois anos de idade devido a um quadro de fratura do fêmur esquerdo. Após primeira internação, prosseguiu com seguimento em ambulatórios de diversas especialidades, em uma tentativa de investigação multidisciplinar de seu quadro. Posteriormente, foi novamente admitido com quadro de febre e dor em membro superior direito. Durante seguimento com o reumatologista, observou-se que o paciente apresentava manifestações características da DMJ, como <em>rash</em> malar fotossensível, heliotropos e pápulas de Gottron. Posteriormente, iniciou tratamento com metilprednisolona em pulsoterapia por três dias, além de ciclos de ciclofosfamida, finalizando a terapia com prednisona 2mg/kg/dia. Desde então, o paciente mantém acompanhamento.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> A DMJ, apesar de sua habitual raridade, possui sinais característicos como <em>rash</em> malar fotossensível, miopatia proximal, heliotropos e pápulas de Gottron, que devem sempre ser considerados no diagnóstico e tratamento precoces. Além disso, a identificação de anticorpos específicos pode ser útil para o diagnóstico da maioria dos pacientes, e sinais não usuais como a coriorretinopatia podem indicar a presença da doença.</p> Kiane Christie da Silveira Priscilla Guerra Moura Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-22 2022-11-22 1 1 e013 e013 10.37497/JMRReview.v1i1.13 Síndrome De Body Stalk: Relato De Caso https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/14 <p><strong>Introdução:</strong> A síndrome de<em> Body Stalk </em>(SBS) é uma condição rara com uma frequência relatada de um caso para cada 31.000 gestações, e é caracterizada por malformações congênitas graves, principalmente toracosquise, abdominosquise, defeitos nos membros e exencefalia. Sua etiologia exata é desconhecida e nenhum fator teratogênico foi descrito até o momento. Além disso, relatos de recorrência familiar sugerem a possibilidade de origem genética da condição.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Relatar um caso de SBS atendido em nosso Serviço. Relato de caso: Tratou-se de uma paciente de 23 anos, sem comorbidades e primigesta, que foi encaminhada ao pré-natal de alto risco por conta de uma translucência nucal de 2,5 mm, observada por uma ultrassonografia (USG) morfológica realizada com idade gestacional (IG) de 11 semanas e 4 dias. Duas USGs posteriores demonstraram sinais sugestivos e crescentes de SBS. A paciente entrou espontaneamente em trabalho de parto com IG de 33 semanas e 6 dias, com o feto em óbito desde seu desprendimento cefálico. Após o nascimento, foram constatadas múltiplas malformações confirmando a SBS. A mãe recebeu os cuidados puerperais, tendo alta hospitalar no dia seguinte.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> A SBS é uma malformação rara e letal, justificando relatos de casos que contribuem para a educação médica continuada em Ginecologia e Obstetrícia. Como visto no caso aqui relatado, a USG é importante na hipótese de diagnóstico precoce da SBS, permitindo que a gestante escolha se deseja interromper ou não sua gravidez. Também existem evidências de que a ressonância magnética fetal poderia fornecer bases para um diagnóstico pré-natal da síndrome durante o começo do segundo semestre gestacional, bem como a capacidade diagnóstica de USGs para fetos com IG de 11 e 12 semanas.</p> Maria Júlia Pereira Leme Attilio Brisighelli Neto Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-22 2022-11-22 1 1 e014 e014 10.37497/JMRReview.v1i1.14 Perfil Populacional De Pacientes Que Iniciaram Terapia Neoadjuvante Para Neoplasia Mamária No Hospital Universitário São Francisco De Assis, Bragança Paulista, No Período De 2020 A 2021 https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/15 <p><strong>Introdução:</strong> A neoplasia de mama é o segundo tumor mais prevalente em pacientes no sexo feminino, excluindo-se tumores de pele não-melanoma. O rastreio, diagnóstico precoce e instituição de terapêutica adequado é fundamental para o melhor desfecho terapêutico para esta população.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Avaliar o perfil populacional de pacientes que iniciaram terapia neoadjuvante para neoplasia mamária em nosso Serviço.</p> <p><strong>Método</strong>:&nbsp; Realizou-se a coleta de dados dos prontuários das pacientes cadastradas no Hospital Universitário São Francisco de Assis na Providência de Deus, de Bragança Paulista – SP, que foram submetidas à tratamento quimioterápico neoadjuvante no ambulatório de oncologia, no ano de 2020 e 2021. As variáveis coletadas dos prontuários foram idade, peso e altura para cálculo do índice de massa corporal (IMC), valores de estrógeno, de progesterona, e tempo de quimioterapia. Também foram coletados dados referentes à menopausa, tipo e grau histológico, <em>status </em>de Her II, esquemas de quimioterapia, tipo de cirurgia, esvaziamento axilar, característica das biopsias e resposta patológica.</p> <p><strong>Resultados:</strong> O estadiamento T3N0M0, a presença de um carcinoma ductal, e a presença de uma baixa diferenciação histológica foram significativos quando comparados às outras classificações dentro de seus respectivos grupos. Ainda, as proporções relacionadas ao score 0 do status de Her II e o tipo de quimioterapia ACT também foram estatisticamente significantes.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> As pacientes avaliadas em nosso Serviço. Com uma média de idade de 50 anos, apresentam um perfil similar a outras análises realizadas no Brasil.</p> Mateus Henrique Reinato Simone Felitti Larissa Carvalho Lopes de Paula Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-22 2022-11-22 1 1 e015 e015 10.37497/JMRReview.v1i1.15 Fratura De Fêmur Proximal Na Criança https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/16 <p><strong>Introdução</strong>: As fraturas do colo do fêmur nas crianças são raras, correspondendo à cerca de 1% das fraturas na infância. Objetivo: Descrever uma série de dez pacientes com fratura do fêmur proximal, tratados no período entre 2011 a 2022, relacionando o mecanismo de trauma, o tipo da fratura, sua forma de tratamento e a evolução para possíveis complicações.</p> <p><strong>Métodos:</strong> Realizado um estudo retrospectivo, com idade variando entre zero a dezesseis anos, não sendo incluídas fraturas patológicas no estudo, sendo cada fratura classificada por Delbet.</p> <p><strong>Resultados:</strong> O índice total de complicações atingiu 50%. A média de idade foi 8,9 anos, sendo ambos os lados igualmente afetados. Fraturas do tipo II por Delbet foram as mais encontradas, seguidas tipo III e menor frequência a do tipo I e IV. As complicações evidenciadas foram necrose avascular da cabeça, dismetria, pseudoartrose, fechamento prematuro da fise e perda da redução com necessidade de reabordagem. Conclusão: Os autores chamam à atenção para a raridade das fraturas, porém, com alto índice de complicações.</p> Arthur Tescarolli Karen Mayuri Kato Rafael Krawczun Maruoka Ronaldo Parissi Buainain André Felipe Ninomya Nilson Nonose Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-23 2022-11-23 1 1 e016 e016 10.37497/JMRReview.v1i1.16 Neuroblastoma Fetal: Relato De Caso https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/17 <p><strong>Introdução:</strong> O neuroblastoma é um tumor de células nervosas embrionárias pouco diferenciadas. Embora mais comumente encontrado na glândula adrenal (90%), também pode ser encontrado no mediastino posterior ou ao longo da cadeia neural simpática. Além disso, o neuroblastoma congênito é o segundo tumor mais comum no período neonatal, correspondendo a 20% de todos os tumores congênitos.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Relatar um caso de neuroblastoma fetal diagnosticado em nosso Serviço.</p> <p><strong>Relato de caso:</strong> Tratou-se de uma gestação onde a paciente possuía <em>diabetes mellitus </em>gestacional e idade gestacional de 38 semanas e 3 dias. O feto, segundo ultrassonografia (USG) morfológica, apresentava uma lesão tumoral em sua glândula suprarrenal direita, além de macrossomia. Por conta dos resultados observados, foi realizado um parto por cesárea, sem intercorrências. Na USG pós-parto a lesão tumoral permaneceu, porém, não foram observadas repercussões clínicas. O recém-nascido recebeu alta do Serviço com encaminhamento ambulatorial para a equipe de cirurgia pediátrica, e uma terceira USG demonstrou uma lesão sólido-cística em sua glândula adrenal direita, que media 2,8 x 2,7 x 2,0 cm, ainda sem repercussões clínicas.</p> <p><strong> Conclusão:</strong> O neuroblastoma fetal possui ótimo prognóstico, e relatos de remissão tumoral espontânea são comuns. Entretanto, é necessária cautela frente a este tipo tumor, visto que é possível que ocorram metástases <em>in utero</em> ou compressão da medula espinal do feto/neonato. Destaca-se a importância de exames de imagem, principalmente a USG e ressonância magnética, pré-natais para a identificação prévia do neuroblastoma, e pós-parto para a identificação do estadiamento do tumor. Outrossim, os tumores classificados em 4S são de melhor prognóstico, com a possibilidade de remissão espontânea.</p> Caio Siqueira Nebesniak Attilio Brisighelli Neto Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-23 2022-11-23 1 1 e017 e017 10.37497/JMRReview.v1i1.17 Gestação Ectópica Em Cicatriz De Cesárea Anterior: Relato De Caso https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/18 <p><strong>Introdução:</strong> A gravidez ectópica deve ser considerada em qualquer paciente gestante com sangramento vaginal ou dor abdominal inferior quando a gestação intrauterina ainda não foi estabelecida. Mais de 95% das gestações ectópicas ocorrem nas tubas, especialmente a porção ampular, totalizando 70% dos casos. Outros locais relatados para gestações ectópicas, ainda que de acentuada raridade, são o abdome, o ovário e a cicatriz de cesárea anterior. Embora rara, a gravidez ectópica em cicatriz de cesárea anterior aumentou em paralelo ao crescimento das taxas de cesariana. Devido a essa raridade, relatos de casos são importantes para que mais evidências sejam investigadas no intuito de sistematizar o manejo da condição.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Relatar um caso de gravidez ectópica em cicatriz de cesárea anterior, assim como seu manejo e desfecho, com o intuito de auxiliar na condução de novos casos. Método: Trata-se de um relato de caso único atendido no Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus – HUSF, localizado na cidade de Bragança Paulista, SP. A paciente em questão autorizou a utilização dos dados contidos em seu prontuário por meio da assinatura de um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, e este trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do HUSF.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> A descrição do caso permitiu concluir que, devido ao risco significativo de desfechos desfavoráveis acarretados pela gravidez em cicatriz de cesárea anterior, incluindo a ruptura uterina e o óbito da gestante, se faz necessário o diagnóstico imediato da condição, pois sintomas como sangramentos são inespecíficos para casos do tipo. A ultrassonografia é uma ferramenta diagnóstica de grande auxílio em casos de gravidez em cicatriz de cesariana, porém, em alguns casos, o diagnóstico pode não ser confirmado até que seja realizada uma ressonância nuclear magnética. A depender da lesão e das morbidades relacionadas, a histerectomia pode ser a melhor alternativa, conforme foi realizado no caso aqui relatado, evitando, assim, a morte da gestante. Todavia, nos casos em que a paciente ainda deseja ter filhos, é possível evitar tal procedimento, embora exista risco de recorrência e de desfechos desfavoráveis.</p> Gabriela Sangaletti Roque Daniela Silva Sobrino Copyright (c) 2022 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-11-23 2022-11-23 1 1 e018 e018 10.37497/JMRReview.v1i1.18 Utilização Do Caudal Block Em Cirurgias Inguinais Pediátricas: Síntese De Evidências https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/20 <p><strong>Introdução:</strong> Quase um quarto dos procedimentos anestésicos realizados atualmente em crianças envolvem anestesia regional. Por sua vez, o bloqueio caudal (BC) é uma das técnicas mais amplamente utilizadas em pacientes pediátricos submetidos a intervenções subumbilicais.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Por meio de uma revisão integrativa da literatura, sintetizar e avaliar a utilização do BC em cirurgias inguinais pediátricas. Método: Trata-se de um estudo exploratório, baseado no método de revisão da literatura com síntese de evidências. A base de dados escolhida para seleção dos trabalhos foi a PUBMED, utilizando a seguinte estratégia de busca: <em>(caudal[title] AND block[title]) AND inguinal[title] AND (pediatric OR paediatric)</em>.</p> <p><strong>Resultados:</strong> A busca foi realizada em novembro de 2022, e inicialmente foram identificados 13 trabalhos que atenderam a estratégia de busca supracitada. Após a leitura dos títulos e resumos, nenhum trabalho foi excluído.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> De modo geral, o BC com bupivacaína demonstrou-se uma técnica segura e aplicável em cirurgias inguinais pediátricas, promovendo boa analgesia e demonstrando poucos efeitos adversos. Além disso, o uso do BC com bupivacaína em associação ao tramadol demonstrou segurança, além de promover analgesia prolongada. Ainda, a utilização do BC em associação com dexametasona, 2-cloroprocaína e levobupivacaína como anestésicos principais foram positivamente avaliadas. Porém, se comparado com bloqueio paravertebral, infiltração do analgésico diretamente na ferida, bloqueio do quadrado lombar e bloqueio do plano transverso abdominal, o BC foi considerado inferior nos quesitos de duração da analgesia e escores de dor. Por fim, o BC foi superior no tocante à analgesia quando comparado ao uso de supositório de paracetamol, além de analgesia comparável com a analgesia ilioinguinal guiada por ultrassom.</p> João Fernando Paulichenco Mantoan Guilherme Heitor de Paiva Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-28 2022-11-28 1 1 e020 e020 10.37497/JMRReview.v1i1.20 Tratamento Das Infecções Por Helicobacter Pylori: Revisão De Ensaios Clínicos https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/21 <p>Introdução: A <em>Helicobacter pylori</em> (<em>H. pylori</em>) é uma bactéria gram-negativa que habita o ambiente gástrico de 60,3% da população mundial. Está bem estabelecido que este microrganismo está relacionado ao desenvolvimento de distúrbios gastroduodenais, dos quais se destacam a gastrite crônica, a úlcera péptica, o linfoma associado à mucosa, e o adenocarcinoma gástrico. No entanto, desde a década de 1980, evidências crescentes associaram essa infecção a várias manifestações extra gástricas.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Por meio de uma revisão de ensaios clínicos, sintetizar as evidências sobre o tratamento das infecções por <em>H. pylori</em>.</p> <p><strong>Método:</strong> Trata-se de um estudo exploratório, baseado no método de revisão da literatura. A base de dados escolhida para seleção dos trabalhos foi a PUBMED, utilizando a seguinte estratégia de busca: <em>"helicobacter pylori"[title] AND treatment[title]</em>. Foram avaliados estudos publicados no ano de 2022 e qualquer trabalho que discutisse o tema proposto e fosse um ensaio clínico foi inicialmente incluído na amostra.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Inicialmente foram identificados nove trabalhos que atenderam a estratégia de busca citada. Após a leitura dos títulos e resumos, nenhum texto foi excluído.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> De modo geral, a efetividade de regimes duplos de altas doses é comparável à regimes triplos e quádruplos, com a vantagem de induzirem menos efeitos adversos nos pacientes. Além disso, o uso de probióticos foi efetivo na substituição do bismuto em regimes quádruplos, levando a maior erradicação da <em>H. pylori</em>. Porém, sua administração para prevenir alterações da microbiota intestinal permanece controversa. Por fim, a administração de nitazoxanida em substituição ao metronidazol em terapias triplas se mostrou mais efetiva, principalmente devido à resistência adquirida pela <em>H. pylori</em> ao metronidazol.</p> Caio Constantini Rosa Jessé Rodrigues de Moraes Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-28 2022-11-28 1 1 e021 e021 10.37497/JMRReview.v1i1.21 Perfil Epidemiológico E Mortalidade Pós-Operatória De Pacientes Submetidos A Tratamento Cirúrgico De Fratura De Fêmur Proximal https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/22 <p><strong>Objetivo:</strong> Identificar o perfil epidemiológico e avaliar a taxa de mortalidade em um ano dos pacientes idosos submetidos a tratamento cirúrgico de fraturas de fêmur proximal em nosso Serviço.</p> <p><strong>Método:</strong> Foram incluídos neste estudo 68 pacientes atendidos no período compreendido entre os anos de 2020 e 2021, que foram avaliados apenas com base em seus prontuários já arquivados, sem qualquer novo contato. As variáveis avaliadas foram a idade, sexo, etnia, presença de comorbidades, lado acometido, tipo de fratura com sua classificação, e o mecanismo de trauma.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Nosso estudo incluiu pacientes com média de idade de 83 anos, a grande maioria do sexo feminino e caucasianas. As fraturas mais incidentes em nossa amostra se localizavam no colo do fêmur, seguidas das transtrocantéricas, e ocorreram igualmente nos lados esquerdo e direito. O mecanismo de trauma mais observado foi a queda da própria altura, e a classificação mais comumente observada foi a Garden IV. HAS e DM foram as comorbidades mais comumente relatadas pelos pacientes. Do total da amostra, 13 pacientes vieram a óbito (19%).</p> <p><strong>Conclusão:</strong> A mortalidade em um ano de idosos operados devido a fraturas de fêmur ainda é alta em nosso Serviço. Sendo assim, existe a necessidade de um seguimento clínico atencioso para avaliação geral e controle das comorbidades dos pacientes com fratura de fêmur buscando reduzir a mortalidade associada à referida condição.</p> Lucas Traldi Jubran Thiago Precioso Marquêz Maria Letícia de Sousa Ramos Conejero Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-12-07 2022-12-07 1 1 e022 e022 10.37497/JMRReview.v1i1.22 Efeitos Medicinais Do Extrato De Phyllanthus Niruri (Chá De Quebra-Pedra): Síntese De Evidências https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/23 <p><strong>Introdução:</strong> O gênero Phyllanthus tem sido utilizado na medicina tradicional por sua ampla gama de atividades farmacológicas, como antimicrobiana, antioxidante, anticancerígena, anti-inflamatória, antiplasmódica, antiviral, diurética e hepatoprotetora.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Revisar a literatura especializada acerca dos efeitos medicinais do extrato de Phyllanthus niruri.</p> <p><strong>Método:</strong> As bases de dados escolhidas para seleção dos trabalhos foram a PUBMED, a LILACS e a SCIELO, utilizando a seguinte estratégia de busca: “Phyllanthus niruri”.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Foram identificados 10 trabalhos que preencheram os critérios de inclusão previamente estabelecidos.</p> <p><strong>Conclusões:</strong> Os efeitos terapêuticos dos extratos de Phyllanthus, em especial do Phyllanthus niruri, ainda são controversos. Enquanto alguns autores sugerem efeitos positivos no tratamento da hepatite B, ainda não existe consenso sobre a referida positividade. Quanto ao tratamento da litíase urinária, pode-se afirmar que o popularmente conhecido “chá de quebra-pedra” não é capaz de quebrar cálculos, mas parece reduzir a excreção de substâncias promotoras de cristalização. Os potenciais efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios dos extratos contendo Phyllanthus niruri parecem reduzir a taxa de formação e contribuir para a eliminação de pequenos cálculos ou de seus fragmentos.</p> Renato Ribeiro Nogueira Ferraz Eduardo de Andrade Pinguer Valdemar Soares de Melo Júnior Giulia Veneziani Zogaib Ana Daniele Queiroz de Medeiros Maria Fernanda Marques Moncorvo José Arnaldo Shiomi da Cruz Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-12-07 2022-12-07 1 1 e023 e023 10.37497/JMRReview.v1i1.23 Comparação dos Efeitos da Morfina Intratecal e do Bloqueio do Plano Transverso do Abdome no Parto Cesárea: Revisão da Literatura https://revistamedicalreview.org/revista/article/view/24 <p><strong>Introdução:</strong> As taxas de parto cesárea (CD) vêm aumentando anualmente. Para as parturientes, a falta de analgesia afeta a recuperação pós-parto materna, assim como a amamentação e o desenvolvimento do bebê, além de aumentar o risco de depressão pós-parto.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Avaliar, por meio de uma revisão da literatura, os efeitos analgésicos da morfina intratecal (ITM) e do bloqueio do plano transverso do abdome (TAP) no CD.</p> <p><strong>Método:</strong> Trata-se de um estudo exploratório, baseado no método de revisão da literatura com síntese de evidências. A base de dados escolhida para seleção dos trabalhos foi a PUBMED, utilizando a seguinte estratégia de busca: <em>"intrathecal morphine"[title] AND ("tap block"[title] OR "transversus abdominis plane block"[title]) AND cesarean</em>.</p> <p><strong>Resultados:</strong> A busca foi realizada em novembro de 2022, e inicialmente foram identificados 11 trabalhos que atenderam a estratégia de busca. Após a leitura dos títulos e resumos, 2 textos foram excluídos por se tratarem de cartas ao editor.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> Os efeitos analgésicos da ITM após CD parecem ser superiores ao bloqueio TAP, ainda que alguns trabalhos indiquem que ambos os métodos são comparáveis. Porém, o bloqueio TAP seria uma alternativa razoável quando a ITM é contraindicada, ou mesmo para as pacientes com alto risco de náuseas e vômitos pós-operatórios, além de apresentar menos reações adversas se comparado à ITM.</p> Constanza Alvarez Camilo Carlos Augusto Balbino Fernandes Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-12-19 2022-12-19 1 1 e024 e024 10.37497/JMRReview.v1i1.24